1

O Sol é Para Todos por Harper Lee

O que você precisa saber para querer ler?

sol-para-todos

A verdade é que eu posso contar tudo sobre o livro e ainda deixar alguém com vontade de ler, porque o interessante não são os acontecimentos em si, mas as reflexões feitas sob a perspectiva de uma garota branca de uma comunidade racista nos anos 50 no sul dos Estados Unidos. Mas o seio familiar da Scout é diferente, e por isso é que seus pensamentos sobre o que ocorre nessa cidade são tão ricos.

Muitas coisas acontecem no decorrer de 2 ou 3 anos, mas o que mais marca o livro é o julgamento de um negro acusado de ter estuprado uma mulher branca, e o pai da Scout é o advogado defensor deste homem.

Posso também não contar nada, e cada linha ser uma descoberta e surpresa.

Meus pensamentos:

Interessante como ao contar uma história aparentemente boba no começo, a autora vai dando o tom da ambientação racista, que é o foco do livro, de uma maneira tão sutil, que quem não souber do que o livro se trata não vai nem perceber as indicações.

Muita gente me disse que a história começa com esse caso do estupro. Mas para mim a história não começa aí. Essa é uma história de uma menina que está crescendo (dos 6 aos 8 anos mais ou menos) questionando o mundo e as decisões e atitudes das pessoas que a cercam. Existe a reflexão sobre o racismo e a discriminação daqueles que são contra a igualdade racial? Sim, mas o julgamento só acontece do meio para o final do livro, apesar de estar presente enraizado na sociedade e se apresentar indireta ou diretamente durante toda a leitura. Mas eu acho que é mais do que isso. É a aceitação das pessoas como elas são. Sobre o que a sociedade espera das mulheres (meninas) e como isso não faz sentido. Em como as oportunidades são diferentes de acordo com o meio que se nasce (e infelizmente em como se nasce).

Desde o começo a maior tensão gira em torno de Boo Radley, um vizinho recluso, que gera uma curiosidade típica infantil, cheia de especulações fantásticas, brincadeiras e desafios. Scout, o irmão Jem e o amigo Dill têm uma enorme vontade de ver ao mesmo tempo que têm medo de passar pela calçada da casa dele, pois as crianças tendem a ter medo do que não conhecem. E esse mistério está sempre presente, mesmo quando coisas mais importantes estão acontecendo.

Eu amei o fato de ser contado por uma menina e não um menino, por que além de Scout ser mais livre de preconceitos em comparação a outros personagens, (ela vai amadurecendo esse traço ao longo de livro) ela também questiona sobre “o papel da mulher” e o que esperam dela e ser uma “senhora”. Claro que a temática do racismo é mais forte, mas eu vi muitas outros questionamentos, como quando apareceu o cão raivoso na rua e o fim que isso teve, ou o incêndio na casa da vizinha… (sem spoilers)

A metáfora do “matar um tordo” kill a mockingbird é muito mais ampla que o racismo e como sinto que a temática principal não é só a aceitação dos negros, acho que a tradução de “O Sol é Para Todos” é uma ótima síntese do sentimento geral: aceitar as pessoas como elas são.

Mockingbird

Notas:

  • Escrita: 5
  • Ambientação: 5
  • Personagens: 5
  • Enredo: 5
  • Diversão: 5

estrelas

Me conte o que você achou! =)